• Danielle Lins

Principais lições do filme Summer In The City para quem empreende - PARTE 2

Atualizado: Abr 21


Capa do filme em português. Créditos: FTP - Capas Lançamentos


Como prometido estou compartilhando agora a segunda parte do artigo sobre o filme Summer In The City. No primeiro texto contei um pouco do enredo, as características da personagem principal e alguns ensinamentos. Na sequência, vou te mostrar as estratégias utilizadas pela protagonista no decorrer do filme.


Aos que querem empreender

Antes de se aventurar em ter o próprio negócio é importante identificar o que você gosta de fazer e o que faz bem feito ou criar uma solução para algum problema existente. Usar algum dos seus talentos pode ser um caminho, normalmente já se dá indício quando pequeno. “Costumava escolher as roupas das amigas, elas não compravam sem me consultar”.


Como ter um bom atendimento ao cliente?

Atender bem e com gentileza - as habilidades de vendas de Taylor geram resultados positivos por atender bem as clientes, foi assim que ela conseguiu a vaga de gerente em Manhattan. “Eu juro que você venderia gelo no Alasca”.

Conhecer bem o público-alvo, identificar a(s) persona(s) e atraí-la com ações específicas - na antiga loja da protagonista a estratégia utilizada foi fazer biscoitos caseiros, o que deu certo, mas na boutique em Manhattan não funcionou.

Usar pontos fortes de cada colaborador - no filme, Taylor é boa em decoração e vendas, enquanto a amiga (da antiga loja em Ohio) que sabe cozinhar fazia os biscoitos caseiros.


Estratégia 1

Como criar um jeito de aumentar o tráfego de pessoas na boutique A-LINE que está com o movimento fraco?


Usar a mesma estratégia da antiga loja em Ohio: biscoitos caseiros grátis.


Resultado: Não deu certo. Porque ela não conhecia totalmente o público e a persona: mulheres de classe média alta que não costumam comer chocolate e açúcar. “Eu sei que não é Ohio, só achei que falta um toque humano aqui, talvez alguma coisa caseira e mais legal animasse esse povo”.


Dica do filme: Conheça bem o seu público. O verdadeiro truque para trazer o público à loja é ter sinceridade: com a(o) proprietária(o)/você, com a equipe e, principalmente, com os clientes.


Estratégia 2

O que fazer com mercadorias não vendidas da estação passada sem dar descontos (norma da loja) e não gastar com divulgação?


Ajustar os preços. Ao invés de restringir o número de clientes fazendo um convite individual e anual de um dia de vendas exclusivas, organizar um bota fora de verão. Os estilos não mudaram. Por que não vender as mercadorias de ótima qualidade com preços mais acessíveis e atrair gente que nunca colocou o pé aqui?”.


Resultado: O total de vendas do bota fora de verão foi o dobro do que se vende em um dia aumentando as vendas do mês para 6%. “E se, o desconto que fizemos ocasional, fizesse parte da estratégia da A-LINE e parte da estratégia de expansão? Hoje foi um dia em potencial, 6% hoje pode ser 26% no próximo”.


Estratégia 3

Como criar um novo plano de negócios com base em mudanças estratégicas recentes, no novo crescimento de vendas e margens de lucros restruturadas preservando a marca sem retirar o “A” de A-LINE proposto pelos possíveis investidores?


1º passo: Focar no que está funcionando e pensar numa ideia ainda mais original.

Produzir um lançamento pré-outono, mas com uma coleção nova utilizando os desenhos antigos da proprietária e transformá-los em uma grife exclusiva da marca: “Exclusividade A-LINE da Alyssa” com a proposta de fazer algo autêntico e diferente. “Como a roupa perfeita pode contar a sua história pessoal? Como você se vê, como as outras pessoas te veem, o que destaca você, por que mais desenharia a sua própria coleção? Para ser única!”.


2º passo: Manter a essência original da A-LINE, uma loja única sem expansão, mas focar em aumentar a base de clientes.


3º passo: Misturar a nova moda clássica e vintage, porém de qualidade.


4º passo: Expandir a marca no meio digital criando a A-LINE online. “Um website interativo para que as mulheres elaborem seus próprios modelos usando realidade virtual para guardar roupas que ainda amam às novas coleções da A-LINE”.


Resultado: Novo plano de negócios aprovado, mas sem investidores, e Taylor Morgan como nova sócia.


Dica do filme: Ter a própria loja, criar a própria coleção, ter muito sucesso em ambos e continuar leal a si mesma.


Até se torna simples falar de empreendedorismo, marketing e vendas dessa forma, né? Não dá para gerar bons resultados ou criar tendências de vendas com as estratégias de marketing e planejamento para alavancar o próprio negócio sem antes ouvir os anseios dos clientes, muito menos ignorar e negligenciar o atendimento ao cliente dentro das empresas.

Bill Gates vai dizer que “seus clientes mais insatisfeitos são sua maior fonte de aprendizado”, faz sentido pra você?

Assistiu ao filme? Conta quais insights você teve.


Gostou desse conteúdo? Deixe o seu comentário e compartilhe com os amigos.

15 visualizações
LOGO 2-03.png

Siga a AC nas mídias sociais

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • LinkedIn
  • Branca ícone do YouTube

Todos os Direitos Reservados © 2020 DANIELLE LINS