• Danielle Lins

Principais lições de Summer In The City para quem empreende - Parte 1

Atualizado: Mar 7


Capa do filme. Crédito: filmow.com

Você costuma atentar para o assunto da história de um filme e aprender com ele? Porque é possível sim aproveitar o momento de lazer para adquirir mais conhecimento, ter insights e, é claro, se divertir.


Ultimamente tenho optado por assistir a filmes e séries nos momentos de folga (porque ler é quase que uma obrigação diária pra mim rsrsrs...). A partir de um olhar crítico ao conteúdo, procuro enxergar o que posso aprender focando no enredo, não me refiro à análise técnica, performance dos atores ou coisa do tipo. Inclusive, um dos últimos filmes que assisti trouxe ricos ensinamentos sobre o universo do empreendedorismo, marketing e vendas, acredita?


Dependendo da obra de ficção, torna-se fácil compreender como funciona um determinado assunto, aprender técnicas viáveis para utilizar no dia a dia e ter muitos insights. Por isso, reuni na primeira parte deste artigo as principais lições de empreendedorismo, marketing e vendas que identifiquei no filme "Summer In The City" (Original) ou em português “Bem-Vinda a Manhattan”.


O filme (2016) narra a história da vendedora Taylor Morgan, aspirante à dona de loja. Ela foi convidada por uma cliente para gerenciar uma boutique de roupas feminina em Manhattan após seu bom atendimento. Taylor aceita o desafio e sai de Ohio para enfrentar as dificuldades de viver em uma cidade grande como a Big Apple.


Quando a oportunidade bate na porta

Desde pequena a jovem Taylor, formada pela faculdade de moda, tinha o sonho de morar em Manhattan trabalhando no universo de moda. “Eu tinha certeza que iria parar em Nova Iorque, só não sabia como. Mas como todas as outras coisas, aconteceria na hora certa”. Essa certeza é evidenciada no porta-retratos de cabeceira da personagem que tem a imagem do distrito de Manhattan com a seguinte frase: “I LL take Manhattan” (traduzindo “Eu vou conquistar Manhattan”).


Quando Taylor conhece Alyssa, proprietária da Loja A - LINE (Linha A), uma boutique de Nova Iorque, se depara com a oportunidade de realizar esse sonho. A dona pretende expandir a marca com a meta inicial de abrir mais três unidades em três anos (uma por ano) e contrata Taylor como gerente da loja sede para alcançar o crescimento de dois dígitos e apresentar aos possíveis investidores do negócio em 60 dias.


Características empreendedoras

Taylor Morgan é confiante e segura ao indicar as peças de roupas mais adequadas ao perfil e personalidade da cliente, buscando através das dicas valorizar as características mais marcantes dela. Tem um estilo próprio de se vestir que acaba influenciando outras pessoas (“Eu só crio tendências por onde passo.”), é sincera e direta nas palavras, tem experiência, vigor e talento para assumir a gerência da loja. É ousada, focada em vender bem e sonha em um dia administrar a própria loja.


A jornada é de desafios

Como em todas as mudanças há o fator adaptação. Adaptar-se a uma cidade grande, sem conhecer ninguém nem ter onde morar e ainda ter que focar nas atividades como gerente da loja para alcançar a meta proposta pela proprietária e conquistar o respeito das funcionárias.


Dica do filme: “Seja rápida, empurre, fale alto. Aqui (Nova Iorque) sobrevive o mais forte, mas não se esqueça: Seja você!”.


5 ensinamentos de uma gerente de loja

1º Os clientes sempre têm razão até não terem - é preciso saber lidar com o cliente dando dicas sem que o ofenda ou dizer que ele está errado. A técnica é perceber quem é o cliente e o que é melhor para ele, ao invés do que é melhor para você. Faz sentido? “Gosto de ser sincera com os meus clientes, mas gosto de entender o sentimento deles, eu acho que as pessoas gostam disso”.


2º Clientes podem ser difíceis, então evite levar para o lado pessoal - a cada recusa do cliente não encare como uma ofensa ou objeção ao seu trabalho.


Seja um bom colaborador e tenha um bom chefe - oriente os colaboradores da importância de cada um desempenhar as funções com responsabilidade.


Qual a graça de não se divertir vendendo? - encare a venda com leveza e não por obrigação, por mais que precise bater metas, a venda é uma consequência do bom atendimento.


Ensinar pelo exemplo - o líder precisa por a mão na massa, mostrar aos colaboradores que também trabalha no negócio.


Deu pra perceber o quanto pode ser produtivo assistir a filmes e séries, né? Em Summer In The City a gente encontra ideias de negócio e criatividade, personagens compartilhando e vivendo sonhos, empreendendo com o que tem e agindo de forma estratégica.


Mas não para por aqui! Na segunda parte deste artigo vou mostrar mais lições do filme, tá? Ah, não esquece, muitas vezes quando a oportunidade bate na porta ela tem pressa. É um mundo novo, desconhecido e desafiador que se abre esperando ser explorado. E o que fazer com ele? Se quiser realmente alguma coisa, agarre!


Gostou desse conteúdo? Deixe o seu comentário e compartilhe com os amigos.

22 visualizações
LOGO 2-03.png

Siga a AC nas mídias sociais

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • LinkedIn
  • Branca ícone do YouTube

Todos os Direitos Reservados © 2020 DANIELLE LINS